CAPPUCCINO

Humor, Esporte, Informação e Novidades

Xícara Especial

Postado por Larissa Vertedor 21 de dezembro de 2010

Por Larissa Vertedor.

Bem-vindo (a) ao primeiro post de Estilo e Afins. Como já devem ter lido na descrição dos colunistas, sou a Larissa Vertedor. Estudo Modelagem de Vestuários na Etec Carlos de Campos e sou técnica em Administração de Empresas formada pela Etec de Guaianazes.


Sempre que temos que dar primeiros passos, tentamos pensar em como fazer com que isso seja importante. Não foi diferente com a escolha do primeiro tema a postar. O que passou pela minha cabeça? Natal, Ano Novo, fim de ano, o branco e o equilíbrio, o verde e a esperança, o amarelo e o dinheiro e coisas do tipo. Porém, existe algo mais urgente do que o consumismo de fim de ano e as ideias capitalistas que tornam essas celebrações fonte de lucro para empresas por ser quando acontece o aumento no preço da maioria dos produtos sem posteriores questionamentos por parte dos consumidores sobre o motivo do acréscimo, afinal, é fim de ano. Fim de ano, fim de ano. Decidi deixar esse assunto de lado. Para o ano que vem, quem sabe? E tornar este primeiro post especial. Não só para mim, mas para quem o ler.
As celebrações do fim de ano (voltando no assunto) trazem movimentação às ruas e o clima de euforia, característica também trazida por outro advento dos últimos meses do ano: os vestibulares. Livros, teorias, redações, folhas, impressões. Redações. Foi com uma das redações propostas por uma das universidades para qual prestei que aumentou as possibilidades de escrever sobre esse tema. A proposta era que déssemos uma solução para o paradoxo atual da sociedade, o consumo e estar em harmonia com a natureza.
O tema por mim escolhido para introdução da coluna é moda sustentável. Por que é importante para mim? Por ser importante para qualquer um que habite este planeta e tenha a intenção de possibilitar as futuras gerações de fazer o mesmo. Por ter desenvolvido projetos nos três cursos que fiz durantes o ano sobre o mesmo tema: Ecobags. E pelo objetivo de, na área de atuação que pretendo seguir, atuar com consciência, fazer a minha parte (clichê, não? mas é fato).
‘O desenvolvimento da criatividade nas escolas, durante o processo de formação’. Foi a proposta de solução para o problema do paradoxo da sociedade. Ensinamentos além do decorado, do esperado. Para que existam mais soluções criativas para os problemas da sociedade. Como a Ecobag é solução para as sacolas plásticas convencionais. Este tema me faz lembrar uma obra da brasileira Cinthia Marcelle, exposta na 29ª Bienal Internacional de Arte de São Paulo intitulada ‘Sobre este mesmo mundo’, a qual expõe uma lousa onde é possível a visualização de vestígios de fórmulas quase apagadas e, abaixo, uma montanha de pó de giz (link para visualização da obra no fim do post)*.
A correria e a falta de tempo são fatores presentes na sociedade ‘desenvolvida’ e crescem exponencialmente. Principalmente na tecnologia, surgem objetos cada vez mais compactos para que possamos levar mais coisas e mais coisas ainda aos lugares e evitar trajetos desnecessários em busca dos objetos deixados para trás. Com base nesta ideia, na moda sustentável e com inspiração artística no cubismo desenvolvi uma Ecobag que, voltando a ideia de ‘post especial’, será meu primeiro projeto pessoal aqui exposto.





Bolsa compacta com alça removível, duas possibilidades de uso 37x43 e 43x74. A versão maior pode ser visualizada na terceira imagem. Aparece quando o suposto forro da bolsa é trazido para fora. Este formato é para nós, estudantes de design, que sempre andamos acompanhados de nossas queridas pastas A3. Na sua versão 37x43, pode ser dobrada três vezes, com o auxílio de botões de pressão. Tem o fim de substituir sacolas plásticas convencionais (de origem petroquímica), bem como ser usada diariamente. Trabalhada no algodão cru, tecido de origem natural, com fibra vegetal biodegradável que poderá ser decomposto em matérias orgânicas através de processos naturais. Reforçando a essência da finalidade da ecobag.
Foi utilizado o cubismo como forma de inspiração artística tanto para o design quanto para a estampa da bolsa, na qual foi utilizado o stencil para execução das letras principais.


Com base no cubismo analítico que se caracteriza pela desestruturação da obra em si e de seus elementos e a redução das cores, e no cubismo sintético, quando a bolsa é totalmente aberta, expondo objetos menos fragmentados e figuras novamente reconhecíveis. Também pela característica do Cubismo analítico na utilização de letras, palavras e números.


E assim finalizo meu primeiro post no blog e último post do ano. Desejo a todos um ótimo fim de ano e espero que escolha as cores certas para o Ano Novo. Comprem seus perus e degustem de toda comida que leva-los-á ao ganho de novas calorias para começar 2011 com tudo novo! E na madrugada do dia 31 para dia primeiro, quebre sua taça de champagne para deixar para trás todos os lamentos do ano que passou e aderir a novos hábitos como pegar sua nova xícara ‘especial natal’, misturar o café com leite ao achocolatado e dar origem ao deliciosamente degustável cappuccino.

http://www.galeriavermelho.com.br/artista/87/cinthia-marcelle (*Obra de Cinthia Marcelle citada no post)

7 comentários

  1. Post Bem Interessante...mas acredito, que ninguem esteja nem ai, pra esse tipo de coisa..."Sustentabilidade e bla bla bla".Apesar de ser uma forma as vezes até mais baratas que as convencionais, são poucas as pessoas que realmente se importam, bom saber que vc é uma delas ;)


    PS;essas bolsas não combinariam com meu look

     
  2. Bruno. Says:
  3. Acredito que você começou da forma correta.
    Escreveu com clareza e foi muito perfeccionista.
    Coisas que eu admiro. Muito!

    Sobre o tema, não há como questionar sobre a importância da sustentabilidade, não mesmo.
    Mas o que seria ainda mais interessante seria fazer chegar aos ouvidos e olhos de quem realmente precisa agregar isso a sua cultura e opnião.

    Tá de parabéns Lari, ficou muito bom.

    OBS: Acredito que as ecobags também não combinão muito com meu look, infelizmente.

     
  4. Só uma pergunta: “Quantos pares de sapato você tem?”...hsuahsuahsuahs.. brincadeira =x

    Acho que a existência dessas ideias voltadas à sustentabilidade são importantes na preservação do planeta para as gerações futuras, mas pouca gente se interessa.

    Bjos

     
  5. Larissa manja!

     
  6. Bruno Says:
  7. Ótimo Post , pensamento sustentavel já tinha ate que ser materia escolar. Parabéns Larii

     
  8. Tonco Says:
  9. lookin' 4ward 2 read your next blog xx

     
  10. Talita Says:
  11. Parabéns Lá, muito bom !

     

Postar um comentário

Seguidores

Twitter